segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Sobre pessoas econômicas

Sobre pessoas econômicas
categorias: Crônicas
Ana Maria Guimaraes Ferreira


Antigamente eu acreditava que pessoas economicas só fossem aquelas que economizam dinheiro, nada mais.

Contudo com o tempo aprendi. convivendo com tanta gente que passou pela minha vida, que as pessoas podem ser economicas de carinho, de palavras, de sorrisos, de tudo, ate de luto.

Tem aquelas pessoas que escrevem em uma linha e querem que a gente consiga entender toda uma vida as vezes numa unica frase.

Não quero dizer que gosto de pessoas prolixas.
Não! não é isso.
Falo daqueles que parecem ter preguiça de usar os dedos no teclado, a cabeça para pensar, a mente para usar....

Outras, são tão econômicas que beijam de leve rapidinho como se fosse uma borboleta que roçou no seu rosto e quando voce percebeu ela ja tinha ido...

Existem pessoas que mandam e-mails tão curtos que voce acha que o teclado do computador dele tá faltando letras e por isso ele economiza tanto...

E os economizadores de sorriso? Ja conheceu algum? ele ri pela metade. É como se fosse rir e de repente parasse. O sorriso fica assim no meio do nada,.desconcertado, inquieto, incerto.

O economico de afetividade é assim, um meio sorriso, um abraço pela metade, um carinho pairando no ar mas que nunca chega em voce, uma ligação onde so se ouve o alo e ela cái, o abraço que vinha e desistiu no caminho....

Porque será que as pessoas estao assim? Será que é reflexo da bolsa americana? da quebra dos bancos? do medo? da insegurança? do amanha?

E pensar que quanto mais voce da, mais voce recebe. Talvez seja isso... As pessoas economicas dão menos porque não querem receber muito.

No skype elas aparecem sempre como ocupadas, no msn off line e na vida ocupadas demais para se dar aos outros.

Existem ate os economicos do luto: choram por segundos e param em minutos......
Sofrem por minutos e esquecem num segundo...

AH.... que coisa sou tão perdulária nos meus abraços, nos meus carinhos, nos meus afagos, na minha saudade, na minha dor e no meu luto....

Sou perdulária na minha forma de ser , de me dar, de receber.

Efetivamente não nasci para ser miserável no amor.....
Descobri que nas letras e no afeto eu sou gastadora, perdularia, incontida, irreverente sou assim gente como a gente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário