sábado, 16 de outubro de 2010

Um sonho de criança que ressurge pelos olhos carinhosos de um filho



Chegando a casa me deparei com um embrulho do Sedex que sabia eu era uma surpresa que meu filho fazia para mim.
Olhei o volume e pensava que será esse presente tão leve e ao mesmo tempo tão grande que poderia ser... Curiosa abri o presente rasgando o papel que o encobria e via surgindo algo que me lembrava um instrumento musical. . mas, um instrumento musical para mim... eu que nunca havia conseguido nem cantar, nunca toquei um violão, uma única vez toquei maracá (que era um instrumento tão fácil como o cochalho de uma criança) no conjunto musical de meus irmãos que talvez por pena de mim tinham arrumado isso para que eu fizesse parte deles na musica.....
Continuei e abri como uma criança o embrulho... curiosa, infantil.... Quando terminei as lágrimas começaram a querer sair de meus olhos e banhar minha face... ali estava ele – o meu sonho de criança que eu havia já guardado nos meus projetos impossíveis – o violino .Lindo, leve, parecia uma criança frágil querendo meu colo. Não tinha palavras para expressar meu encanto, minha alegria mesmo sabendo que quem sabe minha veia musical estivesse esclerosada e sem chances de desenvolver... Mas ele estava ali a minha espera talvez tão ansioso como eu... O violino e eu... um amigo novo, mas com a experiência de muitas vidas e eu uma coroa desmedida com a experiência de apenas uma vida e uma total inexperiência com ele.
Quem sabe eu pensava... podemos ser grandes amigos e se de todo for impossível aprender a usá-lo um neto o fará por mim
Mas o que mais me emocionou além de ter recebido o violino foi a sensibilidade, o amor do filho que lendo uma Crônica resolveu realizar o sonho de uma mãe. O violino era a mais pura expressão de amor que recebi naquela tarde e uma vez mais pensei nos tesouros que ganhei na megasena milionária que Deus me deu e que nunca vou ter tempo para gastar toda – os filhos e agora os netos que me envolvem com seus bracinhos e me beijam a face e traduzem o amor em suas risadas infantis, em seus olhares curiosos...
Quando alguém podia imaginar que um violino pudesse trazer tão boas lembranças da infância, dos meus sonhos já esquecidos e de repente vi surgir em mim àquela motivação que achei que tinha perdido com os anos, do tentar sem medo, do acreditar, do fazer...
Meu coração sorriu tenha certeza e o som de um violino embalou minha alma aquela noite

2 comentários:

  1. Lindo, lindo, lindo...
    Emocionante!
    bjs,
    Adir

    ResponderExcluir
  2. ana maria guimaraes ferreira21 de outubro de 2010 16:10

    Agora comecei as aulas quem sabe consigo tirar um som da fragilidade do violino,,....

    ResponderExcluir